sábado, 3 de novembro de 2012

FanFic 'Dark Queen' – Capítulo 30 – Marry Me/I Do

 Boa noite meus lindos.
Então chegamos ao fim da nossa história.
Nossa rainha sombria agora tem seu rei e tudo se encaminha para uma existência longa e feliz.
Espero que tenham gostado da jornada.
Vamos ao capítulo.

Dark Queen
30
Marry-Me / I Do
***
Marry-me / Case comigo
Forever can never be long enough for me / Para sempre nunca será tempo o suficiente para mim
Feel like I've had long enough with you / Sinto que já tive tempo suficiente com você
Forget the world now we won't let them see / Esqueça o mundo agora não vamos deixá-los ver
But there's one thing left to do / Mas há uma coisa a fazer
Now that the weight has lifted / Agora que o peso se ergueu
Love has surely shifted my way / O amor certamente mudou meu caminho

Marry Me / Case comigo
Today and every day / Hoje e todos os dias
Marry Me / Case comigo
If I ever get the nerve to say / Se eu nunca tiver a coragem de dizer
Hello in this café / Olá neste café
Say you will / Diga que você vai
Mm-hmm / Hã-hã
Say you will / Diga que você vai
Mm-hmm / Hã-hã

Together can never be close enough for me / Juntos, nunca estaremos perto o bastante para mim
Feel like I am close enough to you / Sinto que estou bem perto de você
You wear white and I'll wear out the words I love you / Você usa branco e vou usar as palavras eu te amo
And you're beautiful / E você é linda
Now that the wait is over / Agora que a espera acabou
And love has finally shown her my way / E finalmente o amor mostrou-lhe o meu jeito

Marry me / Case comigo
Today and every day / Hoje e todos os dias
Marry me / Case comigo
If I ever get the nerve to say hello in this café / Se eu um dia tiver coragem de dizer Olá neste café
Say you will / Diga que você vai
Mm-hmm / Hã-hã
Say you will / Diga que você vai
Mm-hmm / Hã-hã

Promise me / Prometa-me
You'll always be / Você sempre será
Happy by my side / Feliz ao meu lado
I promise to / Eu prometo
Sing to you / Cantar para você
When all the music dies / Quando todas as músicas morrerem

And marry me / E case comigo
Today and everyday / Hoje e todos os dias
Marry me / Case comigo
If I ever get the nerve to say hello in this café / Se eu um dia tiver coragem de dizer Olá neste café
Say you will / Diga que você vai
Mm-hmm / Hã-hã
Say you will / Diga que você vai
Marry me / Casar comigo
Mm-hmm / Hã-hã
Train
***

Edward POV
“Você pode pelo menos tomar cuidado com a porra do piano Emmett?”
“Cara, você está nervoso e eu entendo, mas tá um pé no saco. Era por isso que eu queria carregar, se for pra ficar enchendo vou deixar você arrumar tudo sozinho.” Emmett reclamou com a expressão chateada.
“Crianças, parem de brigar e andem logo e olhe a boca suja, eu não vou avisar mais...”
“Desculpe mãe.” Gritamos em unisono.
“Eu juro Em, se você deixar um dente no meu piano eu vou incinerar você.” Eu iria explodir, eu sabia que eu iria explodir. Nunca pensei que iria ficar tão nervoso assim na minha vida. Eu estava literalmente sem ar.
“Ei, eu disse pra vocês esperarem lá dentro. O tablado ainda não está pronto.” Jasper estava ajoelhado com vários pregos na boca enquanto pregava as madeiras para o Deck onde o piano seria colocado no gramado.
“Caralho Jaz!”
“Edward!” Esme gritou e eu estremeci.
Coloquei minha parte do piano no chão e Emmett colocou a dele me olhando com cautela. Esfreguei meu rosto com as duas mãos. “Isso é uma péssima idéia. Ela vai odiar. Eu vou estragar tudo, eu sempre estrago tudo.” Choraminguei.
“Ei?!” Alice retirou minhas mãos do meu rosto em pânico. “Claro que você não vai estragar tudo. Eu sei que não vai... Eu vi e você viu junto comigo.” Ela era toda paciência em forma de duende.
“Mas você não viu o que ela vai responder.” Falei fazendo beicinho. Rosalie bufou às minhas costas.
“Até parece que ela vai dizer não.” Suas palavras pingavam sarcasmo, mas por dentro ela estava feliz. Desde o episódio com os Volturi ela sutilmente se aproximou de Bella. Rosalie era tudo sobre orgulho, porém ela reconhece que a família está melhor com ela aqui.
“Claro que eu não vi a resposta Edward, ela ainda não sabe, como vai decidir?” A pequena revirou os olhos. “Se você não a perguntar, ela nunca vai saber. Cofie em mim, vai dar tudo certo.”
“Ok.” Eu me levantei do chão onde estava sentado encostado ao piano. “Vai dar certo” Disse pra mim mesmo, eu tinha que acreditar nisso.
“As flores chegaram.” Emmett gritou da entrada. Bem na hora.
Ninguém faz idéia do quanto foi difícil esconder toda essa preparação de Bella.
Desde o dia em que Carlisle deu a ela a braçadeira Cullen, senti certo desconforto vindo pelo escudo. Questionei o que a estava a deixando irritadiça e ela se negou a responder. Notei que sempre que alguém se referia a ela por Bella Cullen como agora estavam todos os seus documentos e cartões de crédito, ela se desviava e ficava sem graça. Será que ela estava desconfortável carregando o sobrenome de Carlisle ou ela não queria fazer parte da família?
Eu a interroguei algumas vezes, porém ela desconversou dizendo que eu estava louco. É claro que ela queria os Cullen, nossa família era tudo para ela. Não que eu não acreditasse, mas eu estava com isso fixo na mente. Alguma coisa estava errada.
As coisas só foram esclarecidas em uma viagem de caça onde nós nos separamos. Uma reunião apenas com os rapazes para a reserva do Parque Nacional de Yellowstone. Ficamos fora por quatro dias. Quatro dias de tortura sem minha Bella, mas muito esclarecedores:
“Tem alguma coisa errada Jaz. Eu posso sentir através da nossa ligação. Está quase lá, no entanto eu não consigo colocar o dedo no ponto certo.” Falei pensativo após drenar um urso. Jasper tinha acabado de enterrar sua carcaça.
“Você não percebeu mesmo?” Jasper me olhava com um pouco de pena.
“O que?” Na mente dele estava claro como cristal.
“Ela quer levar o sobrenome não porque ela foi supostamente adotada por Carlisle, ela não precisa de uma família Edward.” Ele falava meio que caçoando pela minha demora em compreender. “Bella tem pai e mãe, mesmo estando em uma nova condição Renee e Charlie ainda estão aí para ela. Bella é uma Swan. Assim como Alice foi uma Brendon um dia. Agora o que ela precisa é progredir com a ordem natural das coisas entendeu?”
“Ordem natural das coisas?” Eu o olhei cético.
“Owooo... Ela quer que você proponha imbecil.” Emmett atirou sem nenhuma sutileza, vindo em nossa direção todo enlameado e com a camisa em frangalhos.
“Peraí, peraí, peraí. Bella nunca sequer mencionou isso, nem imaginou tal possibilidade. Porque vocês pensam que é por isso que ela está tão chateada?” Eu estava confuso.
“Porque como eu disse irmão, é a ordem natural das coisas. Vai me dizer que você não pensa em oficializar isso de vez em quando?” A mente de Jasper voltou no tempo, quando eles vieram viver com conosco. “Eu também não via nenhuma razão nessa tradição humana. Foi Carlisle que me abriu os olhos. Quando perguntei a Alice que eu percebi que ela desejava muito isso. Sei lá. Acho que é coisa de mulher, no entanto eu também fiquei feliz. Foi um marco em nossas vidas.”
Pensando um pouco sobre o assunto acho que talvez eles tenham razão. Mesmo compreendendo que meu compromisso com Bella é eterno, nada era oficial aos olhos dos homens. Ela tinha família e amigos. O que será que Charlie pensaria daqui alguns anos de vivermos juntos sem um acordo sólido? Eu precisava dar um pouco mais de atenção aos sinais se esse era o caso.
Depois disso, a conversa com meus irmãos sobre casamento estava na minha cabeça constantemente. Era só ficar sozinho que minha mente perambulava por todas as possibilidades. Bella de branco pela nave de uma igreja. Bella ancorada nos braços de Charlie enquanto eles vinham na minha direção no altar florido. Ela dizendo sim. Sim para sempre.
Bem, acho que isso me faria feliz também.
Foi um exercicio profundo não pensar nas coisas que eu queria fazer quando ela estava presente. Com a nossa ligação pelo escudo ela poderia ter descoberto meus planos de imediato então eu não planejei. Alice viu minha decisão e veio me falar o que eu deveria fazer. Várias idéias mirabolantes e planos engenhosos. Eu por outro lado queria o simples. Apenas fazer amor com ela e após um momento preguiçoso saber se ela passaria o resto da vida comigo. Alice gritou e gritou e me fez acreditar que eu me arrependeria de perder a oportunidade de fazer isso certo. Naquela tarde e voltei para o chalé disposto a esquecer do assunto até que eu pudesse refletir sem a interferência da duendezinha do mal ou que a noiva em potencial me descobrisse. Quando Bella saiu para o jornal em uma segunda feira chuvosa eu tomei uma decisão... 

Bella POV
I Do / Sim
It's always been about me myself and I / Sempre me importei só comigo e comigo mesma
I thought relationships were nothing but a waste of time / Eu pensava que relacionamento fosse perda de tempo
I never wanted to be anybody's other half / Eu nunca quis ser a cara metade de ninguém
I was happy saying that our love wouldn't last / Eu estava feliz dizendo que o nosso amor não duraria
That was the only way I knew till I met you / Era só isso que eu sabia antes de conhecer você

You make me wanna say I do, I do, I do, do do do do do do doo / Você me faz querer dizer sim, sim, sim, sim, sim, sim, siiiimmm
Yeah, I do, I do, I do, do do do do do do doo / É, sim sim, sim, sim, siiiimmm

Cause every time before it's been like / Pois todas as outras vezes foram tipo
Maybe yes and maybe no / Talvez sim, talvez não
I could live without it, I could let it go / Eu consigo viver sem isso, posso deixar para lá

Ooh, what did I get myself into / Oh, no que foi que eu me meti
You make me wanna say I do, I do, I do, I do, I do, I do / Você me faz querer dizer sim, sim, sim, sim, sim, sim, siiiimmm

Tell me is it only me / Me diga, sou só eu
Do you feel the same? / Ou você também sente o mesmo?
You know me well enough to know that I'm not playing games / Você me conhece bem o bastante para saber que não é brincadeira
I promise I won't turn around and I won't let you down / Juro que não vou mudar de ideia e não vou te decepcionar
You can trust I never felt like I feel it now / Pode acreditar que nunca me senti assim antes
Baby there's nothing, there's nothing we can't get through / Baby, não há nada, não há nada que a gente não possa encarar

So can we say / Então podemos dizer

I do, I do, I do, do do do do do do doo / Sim, sim, sim, sim, siiimmm
Oh baby, I do, I do, I do, do do do do do do doo / Oh, baby, sim, sim, sim, sim, siiimmm

Cause every time before it's been like / Pois todas as outras vezes foram tipo
Maybe yes and maybe no / Talvez sim, talvez não
I won't live without it, I won't let it go / Eu não consigo viver sem, não posso deixar para lá
Wooh can I get myself into / Oh, posso entrar?

You make me wanna say / Você me faz querer dizer

Meet my family, how is your family / "Conheça minha família, como está sua família"
Ooh, can we be a family? / Oooh, podemos criar uma família?
And when I'm many years old and sitting next to you / E quando eu estiver velhinha e sentada ao seu lado

And we'll remember when we said / E vamos nos lembrar de quando dissemos

I do, I do, I do, do do do do do do doo / Sim, sim, sim, sim, siiimmm
Oh baby, I do, I do, I do, do do do do do do doo / Oh, baby, sim, sim, sim, sim, siiimmm

Cause every time before it's been like / Pois todas as outras vezes foram tipo
Maybe yes and maybe no / Talvez sim, talvez não
I won't live without it, I won't let us go / Eu não consigo viver sem, não posso deixar para lá
Just look at what we got ourselves into / Olha só no que foi que a gente se meteu

You make me wanna say I do, I do, I do, I do, I do, I do / Você me faz querer dizer sim, sim, sim, sim, sim, sim,
Love you / Amo você


Por que ele não podia facilitar isso pra mim? Sério. Ter que sair para o jornal deixando Edward nu e disposto em nossa cama no chalé estava testando toda a minha determinação. A chuva caia sem parar lá fora como se concordasse que era uma ótima ideia realmente ficar.
“Não vá.” Beijo.
“Tenho que ir Edward.” Mais beijo.
“Por favor.” Beijo
“Por que você não chama os garotos para jogar? Sei lá, saia para um passeio, vá ao hospital com Carlisle... Vá compor.” Eu tentei argumentar entre os ataques de beijos que ele sensualmente deslizava pela minha mandíbula e clavícula descendo aos meus seios.
“Está tentando se livrar de mim Srta. Cul...Swan?” Edward falou sem retirar os lábios de minha pele.
Eu já suspirava descompassada. “Eu não ousaria querer me livrar do meu Playground, Sr. Cullen” Ele jogou a cabeça para trás e deu uma deliciosa gargalhada?
“Eu fui reduzido a isso? Playground?” Ele mordeu acima do umbigo, lambendo seu caminho para baixo.
“Eu não consigo pensar com você fazendo isso.” Espremi entre gemidos e murmúrios enquanto sua língua varria minhas partes necessitadas.
“Eu não quero que você pense.” Edward olhou pra cima e piscou.
“Baby.” Eu gemi. “Preciso trabalhar.” Minha determinação estava em frangalhos.
“Ok, eu sei que você precisa, só mais um pouco... mais um pouco... Eu nunca vou me fartar de você. Seu gosto. Hummm. Delicioso.” Acariciei seus cabelos os puxando na nuca delicadamente. Ele subiu a cabeça até meu ventre.
"Eu amo que sua tatuagem não tenha se apagado totalmente com a transformação. Eu acho que estou apaixonado por ela". A cabeça de Edward estava na minha barriga agora, beijando e lambendo minha tatoo desbotada, mas ainda nítida no quadril. Minhas mãos massageavam seu couro cabeludo, e os lençóis da cama eram um emaranhado em torno das nossas pernas.
Nosso tempo no chalé era sempre assim, cheio de amor e luxúria.
Fizemos um acordo com nossa família por estarmos desesperado por um pouco de privacidade. Ficávamos três dias aqui, apreciando a cama ou na frente das lareiras pela casa, na bancada da cozinha, na escada. Aliás, nós agora tínhamos batizado cada canto desse lugar que era nosso santuário. Os outros quatro dias eram gastos na casa principal junto com a família. Sendo filha única e solitária, era gratificante poder dividir minha vida com tantas pessoas diferentes. Mesmo quando eu queria matar Emmett por bagunçar minha mesa na sala da família em busca de uma caneta eu enlouquecer com Alice que não se calava um segundo sequer, enquanto eu tinha que me concentrar na matéria que eu estava escrevendo. Era bom. Eu não tinha palavras para descrever Carlisle e Esme pelo cuidado e dedicação a mim. Sem contar poder ter minha família humana mesmo a distância.
“Só mais uma vez amor, não poderei te ver por todo o dia. Por favor.” Edward continuava implorando me impedindo de pensar com lucidez. Lentamente ele me penetrou se movendo sem pressa.
Dobrei meus joelhos plantando os pés na cama e empurrei meus quadris para cima para encontrá-lo, tomando-o por todo o caminho dentro de mim. Conectados. Era assim que estávamos sempre, conectados. Pelo meu escudo eu podia sentir, ver e ouvir tudo que nós significávamos um pro outro. Era sintonia pura.  Minhas mãos desceram pelas suas costas sentindo os músculos que se estendiam com seus movimentos, amando o efeito do seu corpo se esforçando para se juntar ao meu. Seus músculos tensos, seus quadris dançando, sua pele na minha.
Edward envolveu sua mão ao redor da parte inferior do meu joelho e empurrou minha perna para cima para que ele pudesse ir mais longe, mais fundo. Eu precisava dele, todo ele. Nunca seria suficiente. Não importa o quanto ele me desse, eu sempre queria mais. Mil anos não bastariam. Ele estava sendo deliberadamente gentil e lento.
"Mais forte baby, eu preciso mais forte e mais rápido." Eu gemi em sua boca.
Seus olhos abriram e o sorriso torto que me deslumbra enfeitou seu belo rosto. "Eu te amo, Isabella". Ele pontual a declaração com beijos de boca aberta pelo meu rosto.
Meus lábios se curvaram diante da declaração. Ele me dizia essa frase todos os dias, dúzias de vezes por dia. Ele baixou a cabeça e beijou a dobra do meu pescoço enquanto seus quadris empurravam mais forte e mais rápido dando-me o que pedi.
A fricção era gloriosa. Eu me impelia para cima para encontrar cada uma das suas investidas. Ele gemia no meu ombro. Eu adorava o poder de fazê-lo se sentir assim. Apenas eu. Ele era meu.
Ele ergueu a parte superior do seu corpo e se ajoelhou entre as minhas pernas. Suas mãos seguraram meus quadris enquanto ele me puxava para a borda da cama. Eu já não podia me mover. Ele segurou minha metade inferior fora da cama e me movia para frente e para trás, observando-se desaparecer dentro de mim uma e outra vez.
"Oh meu Deus. Você é extraordinária, amor.".
Ele me equilibrou com uma mão firmemente trancada em minha carne através dos movimentos e deixou a outra explorar onde nós estávamos unidos. Seus dedos beliscavam e esfregavam. Eu podia sentir o calor subindo do meu centro, através da minha barriga, até meu peito e se espalhando pelos meus membros. Eu empurrei a cabeceira da cama, tentando chegar mais perto, tentando tomá-lo mais profundamente, mesmo que isso fosse impossível. O orgasmo abrasador me dominou, fazendo meu corpo todo tremer e meus olhos revirarem.
Edward continuou firme, se inclinando e beijando o meu pescoço, puxando o lóbulo da minha orelha com seus dentes. "Isso baby, vê o que eu posso fazer para você? Você é tão linda quando goza pra mim. Eu quero mais, mais um pelo menos."
Tentei respirar, eu tinha que me focar para fazer isso. Ele nos rolou, deitando-me em cima dele. Desta vez, eu o beijei. Comecei em seus lábios e depois desci para o seu queixo definido, pelo seu pescoço e depois em seu peito. Eu me sentei, montando em seus quadris. Entrelacei meus dedos entre os dele e levantei seus braços para cima e sobre a sua cabeça. Inclinei-me para beijar sua boca novamente. Seu gosto me enlouquecia.
Ele estava sorrindo, e seus olhos eram negros de desejo. Eu o admirava fascinada.
"O quê?" Ele perguntou, enrugando o espaço entre seus olhos. Eu tinha parado de me mover para olhar para ele.
"Você é tão lindo e é meu." Eu queria tanto isso por tanto tempo, tudo parecia um sonho.
Ele apertou minhas mãos. “Seu.”
Pressionei meus lábios aos dele, deixando minha língua correr pelo seu lábio inferior. Firmemente o guiei de volta para dentro de mim. As mãos de Edward percorriam meu corpo. Com gentileza acariciou minhas coxas, ao redor do meu quadril, sempre empurrando. Ele as deslizou pelo meu estômago, sobre o meu tórax, ao redor das minhas costas, no topo da minha bunda.
Ele se levantou para que pudesse colocar sua boca em mim. Ele colocou beijos de boca aberta no meu peito enquanto movia suas mãos pelas minhas costas.
"Eu te amo." Ele sussurrou com o rosto entre os meus seios. "Você é minha vida". Estávamos sentados, conectados, um sobre o outro.
Ele beijou o topo do meu seio direito e depois meu esquerdo. Envolveu seus lábios ao redor do meu mamilo endurecido, fazendo com que a minha cabeça caísse para trás enquanto empurrei meu peito na direção dele. Sempre querendo mais. Mais, mais, mais. Tudo que ele me desse ainda seria pouco para o tamanho do meu desejo. Sua língua girava em torno da minha carne sensível. Minha boca se abriu e gemidos de prazer escaparam.
Edward beliscou meu mamilo com os dedos. "Tão perfeita."
O olhei profundamente o enlaçando como se minha vida dependesse disso e cavei meus dedos em seus cabelos indisciplinados e revoltos. Meus olhos trancados nos seus. "Você é meu. Sempre meu";
"Isso mesmo." Ele beijou meus lábios. Sua boca era molhada, quente e convidativa.
Edward deitou me puxando junto, no próximo segundo seu peso me esmagava empresando-me no colchão.
Ele se moveu para cima e para baixo dentro de mim, rolando seus quadris para frente e para trás. Eu podia senti-lo ficando absurdamente mais duro e maior.
"Você é tão boa, baby. Tão fodidamente boa,"
Havia tantas sensações ao meu redor; sua pele macia e firme, o calor do seu corpo em qualquer outro ponto, a maciez do seu cabelo em minhas mãos, seu cheiro de dar água na boca. Ainda assim, eram os sons que mais se destacavam. O som do seu corpo batendo no meu. O som que a sua boca fazia quando chupava e beijava a minha pele. O modo como a sua respiração se tornou irregular quando levantei minhas pernas do colchão e as coloquei por sobre seus ombros, permitindo que ele deslizasse muito profundamente. Seus grunhidos selvagens quando ele explodiu dentro de mim.
"Eu. sou. seu." Ele bateu seus quadris nos meus, empurrando mais fundo. Eu o senti se contorcer dentro de mim, liberando a sua semente, meu frenesi me atingiu juntamente com o dele.
Ele caiu em cima do meu corpo libertando minhas pernas de seus ombros, minha pele formigava agradavelmente em todos os lugares. Seu peito subia e descia com a respiração pesada. Ele beijou o topo da minha cabeça enquanto deixei o meu corpo escorregar ao lado dele na cama.
"Eu não concordo". Falou quando sua respiração voltou ao normal
Apoiei minha cabeça levantada em minha mão. "Não concorda com o quê?"
"Eu queria muito que você não fosse pra cidade hoje." Seu tom era de desagrado, parecia um garotinho cujo doce foi negado pela mãe.
Eu ri. "Eu amo estar no jornal. John tem sido muito bom e paciente em me treinar. Não posso faltar baby." Acariciei sua mandíbula deliciosa argumentando de forma gentil.
"Trabalhar é bobagem. Fazer amor o dia todo é muito melhor. Acredite. Você não precisa trabalhar." Ele me puxou contra o seu peito novamente me prendendo em seus braços aconchegantes.
"Eu sei que eu não preciso trabalhar, mas eu gosto. Você deveria experimentar ao invés de vadiar o dia todo." Eu disse, ainda rindo e plantando um beijo estalado em seu nariz. "Mas todo esse fazer amor me deixa uma bagunça e cheirando a você e isso meu caro, me tira a concentração. Preciso de um banho". Tentei levantar e fui detida pelo seu abraço restritivo.
"Eu vou me levantar agora e tomar um banho. Você não está convidado." Falei lentamente pulando para cima, mas ele me puxou de volta como um sorriso sacana nos lábios antes que eu pudesse rastejar para fora.
“Se eu não puder ir para o banheiro com você, você também não vai.” Ele me beijou profundamente.
Nós nunca deixaríamos essa maldita cama.
O0 ~ 0O
Estranhamente Edward preferiu ficar no chalé enquanto eu fui para o jornal. Hoje era dia de fechamento de pauta para o fim de semana e eu já imaginava o caos. Eu chegaria atrasada e Susan me daria uma bronca. Valeria totalmente a pena. Meu corpo respondeu as lembranças do toque de Edward. Minha vida era perfeita, minha família era perfeita e meu homem era perfeito. Então porque eu estava tão irritada ultimamente?
Tudo começou um tempo após os Volturi terem partido. Carlisle pediu que ficássemos uns dias na casa para que ele tratasse meu ombro ferido. Não era grande coisa, mas deixaria uma marca permanente. Eu odiava Aro e seus seguidores doentios. Espero que ele nunca mais se mostre em minha presença. Eu odiava o que eu tinha feito em frente da minha família, em frente Edward. Era vergonhoso saber que eu poderia deixar o animal em mim sair livremente e matar sem piedade. Essa não era eu. Não até mexerem com minha família.
Estávamos todos do lado de fora da casa no gramado de trás enquanto Esme podava algumas roseiras com a ajuda de Rosalie. Jasper, Edward e Alice jogavam jogos de tabuleiro e Emmett me irritava enquanto eu tentava ler um livro.
Carlisle chegou do hospital mais cedo e pediu uma reunião de família. O clima era leve e eu tentei ler nas entrelinhas o motivo de uma reunião visto que o pior já tinha passado.
Reunimos-nos na sala da família alguns minutos depois e para minha surpresa e desconforto a reunião seria centrada em mim. Carlisle falou como era gratificante me ter juntado a eles e que mesmo que eu já fosse da família a anos. Isso ainda não era oficial.
Então ele retirou do bolso um saquinho de couro e pediu que eu ficasse de pé. Retirando o conteúdo ele pegou minha mão direita e amarrou o que para minha surpresa era uma braçadeira de couro preto idêntica ao que os garotos Cullen usavam.
“Pensei em forjar uma joia como as garotas possuem, mas Alice me disse que a braçadeira te deixaria mais satisfeita.” Carlisle falou em tom de desculpas.
Eu estava em uma perda de palavras, meus olhos brilharam com o veneno convertido em lágrimas que não cairiam.
“Obrigada. É perfeito.” Disse com voz embargada.
“Bem vinda à família Bella, de hoje em diante você é oficialmente uma Cullen.” Alem da braçadeira, Jasper retirou de uma gaveta de sua mesa alguns documentos onde se lia Isabella Marie Cullen.
Suspirei, não era assim que eu imaginava que meu sobrenome mudaria. Meu amigo arqueou uma sobrancelha questionando meus sentimentos, eu fiz um pequeno sinal indicando que estava tudo bem.
O estranho era que eu nunca quis realmente mudar meu sobrenome. No entanto agora, estando vinte e quatro horas e sete dias por semana com os Cullen, eu me dei conta da importância que esse pequeno símbolo representava.  
Fé, Sinceridade, Justiça, Coragem, Pepertuidade. Eu realmente era uma Cullen. Acariciei o brasão que agora estava em meu pulso. Edward veio e me deu um abraço, beijando minha testa. Então a sala irrompeu em aplausos e abraços.  
Foi nesse dia que Rosalie falou comigo sem rancor pela primeira vez na vida. Desde então não éramos amigas, mas era como se tivéssemos um entendimento implícito e algo perto de respeito mútuo. Amigas pode ser uma distensão no futuro, contudo por agora era bom não sentir que eu a incomodava pelo bem da união de nossa família
Voltamos para o chalé e de lá pra cá eu estava irritada toda vez que tentavam de chamar de Bella Cullen. Charlie ainda estava vivo pelo amor de Deus.
E Edward conseguiu me irritar com essa merda de me chamar de Srta Cullen. Eu não queria ser a Srta Cullen, talvez, Sra. Masen ou Sra. Masen Cullen. Droga. Eu malditamente queria isso.
O0 ~ 0O
Era realmente bom estar no jornal. A redação fervilhava com as notícias chegando e provas de matérias sendo finalizadas. Até as mocinhas irritantes da coluna de fofocas de celebridades me divertiam com suas manias recalcadas.  Eu amava estar aqui, no entanto tinha tanta coisa que eu ainda não vi. Viagens que eu queria fazer. Lugares e pessoas para conhecer. Eu estava tendo um bom tempo aprendendo sobre o funcionamento do jornal nos últimos meses, mas decidi aceitar a oferta de Edward para fazer um tour pela Europa, Ásia, Américas. Vários países, várias culturas. O bom de ser imortal é poder viver tudo que a vida poderia me oferecer. Eu podia brincar de ser jornalista daqui a alguns anos, ou quem sabe escolher outra profissão. Fazer uma nova faculdade com Edward e os meninos. A família Cullen reunida entre livros e professores novamente. Seria muito divertido.
Sei que meus irmãos ficariam felizes em fazer uma longa viagem antes de voltar para a escola. Jasper e Emmett já tinham um enorme iate a vela em vista. O plano era velejar pela costa parando para caçar quando necessário. Eles queriam ir ao Brasil para Ilha de Esme e depois Grécia, o mundo era o limite. Carlisle e Esme se juntariam a nós quando suas obrigações no hospital já estivessem concluídas.

Seria bom também apreciar a companhia de Edward em tempo integral, quem sabe confinados em um gigantesco barco não poderíamos matar um pouco essa fome que sentíamos um pelo outro. Parecia tão fácil da parte dele fazer meu coração se agitar e literalmente doer por ele. Meu corpo inteiro desejava estar perto o tempo todo. Meu corpo vibrava com essa necessidade da cabeça aos pés.
O dia passou lentamente apesar da agitação da redação. Despedi-me de todos por volta das dezesseis horas, levaria pelo menos três horas voando no volvo para estar de volta em casa.
Mandei um sms para Edward informando que eu estava a caminho.
Espero que seu dia tenha sido tão produtivo quanto o meu.
Indo para casa.
Senti sua falta.
Amor B.
Em menos de um minuto ele respondeu:
Ansioso pelo seu retorno.
Não demore.
Eu senti sua falta mais. Seu E.
Dei um sorriso bobo para a tela do telefone. Meu.
Saindo do centro da cidade e pegando a subida para o chalé eu acelerei ao máximo na estrada deserta, a chuva tinha ido embora dando lugar a uma bela tarde de sol e céu azul. Raios laranja e diferentes tons de vermelho podiam ser vistos no horizonte. O verde das árvores contrastava com as montanhas em diferentes nuances e cores. Tudo era tão lindo e brilhante. Eu estava feliz.
Coloquei o carro na garagem e subi para a casa ansiosa para estar com Edward, compartilhar minha decisão de viajarmos com a família. Alice provavelmente já tinha visto isso, espero que ela não tenha estragado minha surpresa.
Estranhamente Edward não estava na escada na porta de entrada me esperando como sempre fazia, será que eu entendi errado e ele estava na casa principal me esperando? Tínhamos combinado de passar o fim de semana aqui só nós dois. Entrei em casa e coloquei minha bolsa no móvel perto da porta e pendurei meu casaco. O som do piano suave me assaltou.
“Olá?” falei em tom de voz normal. Se ele estivesse em qualquer lugar proximo a casa me ouviria. Nenhuma resposta. Entrei na sala e vi. O sorriso brotou em meus lábios. Edward estava aprontando. Levando a escada que subia para os quartos no segundo andar, pequeninas flores brancas e roxas cobriam o chão como se fosse um tapete perfumado. Segui a direção indicada até a sacada do nosso quarto. Estranho. Parava de frente a janela. A abri para ver no que ia dar.
Em baixo, dando para os fundos da propriedade milhões de flores espalhadas exatamente como se fosse o nosso prado em Forks, cobriam o grande gramado e bem no centro, sobre um tablado o piano de Edward.
Ele estava sentado a frente parecendo nervoso. Mesmo assim, tão lindo e estóico. Meu Edward. Ao ver-me aquele sorriso que era só meu enfeitou seus lábios. Em nenhum momento seus longos dedos deixaram as teclas. Minha canção de minar flutuava no ar ao meu redor como uma carícia.
“Tenho uma pergunta.” Ele disse ao final da canção e início de outra.  Sua voz gentil me disse de forma doce. “Mas para isso eu tomei emprestado às palavras de outro poeta.”
Mesmo não tendo um coração pulsando em meu peito eu o senti voltando a vida com aquelas palavras.
 Para sempre nunca será tempo o suficiente para mim
Sinto que não tive tempo suficiente com você
Esqueça o mundo agora não vamos deixá-los ver
Mas há uma coisa a fazer
Agora que o peso se ergueu
O amor certamente mudou meu caminho

Case comigo - Hoje e todos os dias - Case comigo

Juntos, nunca estaremos perto o bastante para mim
Sinto que estou bem perto de você
Você usará branco e vou usar as palavras eu te amo
E você é linda
Agora que a espera acabou e finalmente o amor mostrou-lhe o meu jeito

Case comigo - Hoje e todos os dias - Case comigo

Prometa-me - Você sempre será feliz ao meu lado
Eu prometo - Cantar para você quando todas as músicas morrerem

Então case comigo - Hoje e todos os dias - Case comigo


Como um imã eu fui atraida para ele, saltei a janela caindo com um baque suave ao lado do piano, onde me sentei. Nosso olhar trancado um no outro. Ele estava me pedindo para casar com ele. Ser sua esposa. Ter a honra de fazê-lo feliz. Eu estava em casa. Ele era minha casa.
Pulei do piano em seu colo assim que seus dedos deixaram as teclas, meu sorriso seria manchado pelas lágrimas felizes se eu ainda fosse humana. Edward olhava para mim da mesma maneira, como se eu fosse a coisa mais preciosa e surpreendente no mundo.
"Então?” Ele parecia inseguro, bobinho. Eu o beijei por todo o rosto o apertando em mim. As palavras presas na garganta. “Isso é um sim?" Ele suplicou.
"Sim...” Respondi suavemente. “Eu te amo".
"Eu te amo também minha Bella.” Um lindo anel de diamantes reluzentes foi colocado em meu dedo. O símbolo de nossa eterna devoção e entrega um para o outro.
Compartilhamos juntos esse breve momento perfeito do crepúsculo onde o dia se encontrava com a noite. Onde as mais diferentes possibilidades se abriam diante de nós. Deitados no cobertor de flores ao lado de um imponente piano de calda. Eu e Edward deixamos a noite cair sobre o nosso amor revelando milhões de pontinhos brilhantes no céu.
“E então?” Perguntei com um sorriso. “Quando é que partimos para Las Vegas?”
“Sério?” Seus olhos cor de Whisky estavam enormes.
“Não...” Dei uma risadinha. “Alice nos mataria. E depois sua mãe e minha mãe e depois meu pai e a lista é longa...” Beijei a ponta do seu nariz. “Faremos tudo sem pressa, quero me casar conforme ditam as regras. Bem tradicional. O mais importante eu já tenho.” Peguei o rosto de Edward em minhas mãos. Inclinei-me e o beijei. Eu o beijei com todo o amor e adoração que eu sentia por ele, o que era mais do que eu jamais imaginei ser possível. Quando eu finalmente o soltei, ele de alguma forma parecia ainda mais feliz do que estava quando propôs. Seu lindo anel em meu dedo. Nossos lábios se conectaram mais uma vez. Beijos leves e molhados foram trocados. Suas mãos derivaram para baixo e fizeram o calor entre nós aumentar. Minha língua levemente tocou seu lábio inferior e eu podia senti-lo sorrir contra os meus antes de ele abrir sua boca para me guiar para dentro. Eu amava beijar Edward. Sua língua acariciava a minha; quente e macia. Descansei meus antebraços sobre os seus ombros enquanto meus dedos passeavam das suas bochechas para a sua nuca.
“Fico feliz que vamos fazer isso juntos. Não importa quando, nem onde. O mais importante é que estaremos juntos. Para sempre".
Corri meus polegares ao longo da sua orelha antes de tecer meus dedos pelos seus cabelos. Ele estava certo, o "onde" nunca importaria, contanto que estivéssemos juntos.
"Para sempre." Puxei sua boca de volta para a minha. Para sempre. Sempre.
Haveria sempre amor entre nós. Eu era dele e ele era meu por toda a eternidade.
FIM
 Nota da Final Autora:

kkkkk, Chorei escrevendo o fim. Quem diria em?
Em primeiro lugar quero deixar meu enorme agradecimento a Lilinha por ter acreditado em mim e confiado que eu daria conta do recado de agradar centenas de pessoas que entram nesse maravilhoso blog diariamente para se divertir e se informar sobre duas pessoas que eu amo muitoooo.
Rob & Kristen.
Valeu Miga, você é incrível!!!

Segundo, eu não tenho palavras para descrever a sensação de ter você meus fieis leitores, comigo por toda essa jornada. Foi lindo e especial.

Um Obrigada gigante a  
Duda_Robsten, Deise Rocha, Cookie, Alexandra Souza, Adriana, Prih, llss2. Ps, SilP, Drielly Possiano, Dulcileitora, Marizete Lopes e Daia Schmidt.

 Vocês iluminaram meu dia muitas vezes quando eu pensava em desistir. Amo vocês.
A todos que deixaram comentários aos longo dos capítulos, a todos que não deixaram comentários mas leram e gostaram. Meu muito obrigada.
Eu aprendi, cresci e conheci pessoas incríveis com DQ.

VALEU GALERA!!!!!
Eu não esqueci. Vou fazer o post com as músicas para vocês baixarem Ok?  
A partir da próxima semana vou começar um post semanal no blog sobre entretenimento. Indicação de Fanfics, livros, filmes. Será muito legal e eu estou muito animada.
VIDEOTECA R&K
Vocês vão curtir muito.

Também dentro da minha linha viciada em leitura. Continuarei postando fanfics aqui, porém não de minha autoria. 
Em breve trarei uma tradução autorizada de uma fic americana linda. 
Fiquem ligados nas novidades do Blog. 
Até mais meus anjos.

Imagens do capítulo
Braçadeira de Bella - Igual a de Edward. 
 

Iate dos Cullen

Até a próxima.
Amo vocês!!!
 

Se você perdeu algum capítulo Click Aqui



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar saiba que:
1. Você pode se Cadastrar com sua rede social para comentar é muito simples. Clique AQUI para saber mais.
2. Comentários, imagens e links ofensivos a Robert, Kristen ou ao trabalho realizado por esse fandom serão deletados e banidos.
2. Evitem usos de palavrões e confusões pois esses comentários serão deletados e colocados na lista de SPAM.
3.Links de sugestão de máterias por favor enviem para irmandaderobsten@hotmail.com ou no nosso chat.