quinta-feira, 29 de maio de 2014

Fanfic "Desire And Crime"- Capítulo 27


Autora: Larissa Hale (Nyah / Larissa)
Sinopse: Edward Cullen conhecido como Antonny, é chefe da Cosa Nostra Americana com apenas 28 anos. Homem impiedoso. Não mede esforços para acabar com alguém e conseguir o que quer. É um homem temido por todos,até mesmo pelo amor. Isabella Swan,conhecida como La Belle ou apenas Bella,tem 24 anos e é prostituta do bordel de James. Uma pessoa considerada fria e sem sentimentos. Foi abandonada pelos pais quando tinha 6 anos. Desde daquele dia não acredita mais no amor. Duas vidas que se encontram apenas em uma noite,mas que pode mudar a vida deles para sempre. Apenas um encontro vai entrelaçar suas vidas pela eternidade....
Capítulos:  /  /  /  /  /  / 7º /  /  / 10º / 11º / 12º / 13º / 14º / 15º / 16º /17º / 18º/19º / 20º / 21º  / 22º / 23º  / 2425º/26º


Capítulo 27

Era segunda-feira. Edward como de costume acordou cedo. Ele se arrumou, enquanto Bella continuava dormindo. Vendo que ela não iria acordar, desceu para tomar café. Ele fez seu desjejum e subiu novamente para o quarto.


–-Bella acorda. Eu já estou saindo. – Ele sussurrou ao pé do ouvido dela.

–-Aham,bom trabalho. – Ela resmungou afundando o rosto no travesseiro.

–-Você não vai tomar café? – Ele fez cafuné nela.

–-Agora não, depois eu tomo. – Ela ronronou.


Edward deu um beijo nela e saiu do quarto. Bella voltou a fechar seus olhos. Estava se sentindo exausta.


Bella só foi levantar as 9 da manhã. Se levantou e dirigiu-se ao banheiro para fazer sua higiene matinal. Prendeu os cabelos que estavam embaraçados e desceu.

–-Bom dia Sue. – Bella se sentou na mesa.

–-Bom dia Bella. – Sue diz servindo o café dela.





–-Edward, Jane já esta aqui. Você vai interroga-la agora? – Emmett disse abrindo a porta do escritório.

–-Mande a mini piranha entrar. – Edward disse ajeitando o seu paletó. Emmett riu e saiu.

Segundos depois a porta se abriu e uma miúda garota loira entrou no escritório, sendo segurada ou talvez arrastada por Emmett e Heidi. A menina parecia ter 16 ou talvez 17 anos. Aro não tinha escrúpulos alguns.

–-Ai esta essa idiota. Assim que terminar de conversar com ela, eu vou acabar com esse rostinho lindo. – Heidi apertou ainda mais o braço de Jane.


–-Já chega Heidi. Os dois agora, saiam. – Edward disse com seu tom superior.


Emmett assentiu e retirou Heidi dali a força. Heidi queria esganar Jane á qualquer custo. A menina estava sentada na poltrona encolhida. Edward se levantou e se sentou na borda de sua mesa.


–-O que quer de mim? – A voz de Jane saiu tão baixa, que quase não dava para escutar.

–-Será que você realmente não sabe? – A voz de Edward saiu um tanto ameaçadora.

–-Quer saber sobre Aro, não é? – Jane diz o encarando.

–-Boa menina. Agora me diga tudo que eu quero saber. – Edward disse e escutou Jane rir.

–-Eu vou dizer e depois o que vai acontecer? Você vai me matar. Eu prefiro não contar. – Ela disse petulante.

–-Ok. Eu tenho todo o tempo do mundo. – Edward disse indiferente, indo se sentar em sua confortável poltrona.




Bella terminou seu café, subiu para o quarto, tomou um banho e colocou uma roupa fresca.

–-Vamos passear pelo jardim Max. – Bella disse ao cachorro. Ele a seguiu até o lado de fora.

Ela foi para o jardim. Enquanto o cachorrinho corria atrás das borboletas, Bella se sentou na grama. Ela estava se sentido observada,mas não ligou já que estava rodeada de seguranças que a vigiavam o tempo todo.




Enquanto isso....
Edward já estava começando a perder a paciência com aquela criança insolente. Ele via Jane como uma criança, e que não estava cooperando em nada. Ela era apenas uma garotinha riquinha que fazia de tudo por um punhado de pó.


–-Olha aqui sai pirralha, se você não me disser exatamente o que eu quero saber, eu vou ter que forçar a falar. – Edward disse segurando os cabelos dela. Jane gemeu de dor.

–-Tá bom eu falo. Mas por favor larga o meu cabelo. – Jane choramingou.

Edward largou os cabelos de Jane, e ela suspirou aliviada e começou a contar.....

–-Há algumas atrás,Aro estava na Suíça. Foi ele que mandou matar gata da tal Isabella. Ele tem um informante. Ele sabe tudo o que acontece em sua casa.

–-Eu sabia. Eu quero o saber o nome! – Edward se irritou dando um soco na mesa.


–-Eu não sei. Aro dizia as ordens, mas não mencionava nomes. Eu também não ousava perguntar. – Jane disse nervosa.

–-Tem mais alguma coisa que você não me contou? – Edward disse de uma forma ameaçadora, ficando bem próximo do rosto de Jane.


–-Não. Eu estou dizendo a verdade. – Ela disse nervosa.

–-Otimo. – Edward abriu a porta e pediu para que Heidi e Emmett entrassem.


–-Ela contou tudo?

–-Essa garota não sabe de nada. Era só mais uma vadia que ele fodia. É uma criança ainda. – Edward dizia observando Jane.


–-E o que fazemos com ela? A deixamos em um lugar para que Aro a ache? – Heidi disse.

Nesse momento Jane se desesperou. Não queria voltar para as mãos de Aro novamente.

–-Não por favor. Não deixe que Aro me deixe. Ele vai me matar. Por favor. – Jane suplicou em desespero.

–-Mande ela de volta pra casa. – Edward sinalizou para que eles se retirassem e o deixassem sozinho.


Antony preparou um Whisky, colocando apenas um cubo de gelo. Gostava de bebidas quentes e fortes nessas horas de frustração.

Frustrado. Essa é a palavra que podia definir seu humor naquele momento. Essa cansado de andar em círculos e parar no mesmo lugar. Para ele era bastante obvio, que havia um informante de Aro dentro de sua casa. Ele não sabia quem era,mas estava ligado em todos os movimentos de cada homem que trabalhava pra ele.

Seu maior medo nesse momento era de não ser o suficiente para Bella. Tinha medo de perda-la, logo agora que havia encontrado-a. Alguém como ele, e que agora compartilhavam o mesmo sentimento.

Edward brincava com o gelo que havia sobrado em seu copo, após ter bebido todo o conteúdo.

Edward foi interrompido de seus pensamentos por uma Tânia completamente louca, entrando em seu escritório. Ele chegou a dar um pulo da cadeira assustado.

–-Chefe eu tentei impedir essa louca de entrar, mas eu não consegui. – Heidi disse entrando no escritório no encalço de Tânia.

–-Deixa Heidi. Eu resolvo com ela.

Heidi saiu do escritório, deixando os dois á sós. Edward estava lá com sua expressão séria no rosto. Aquilo não cheirava nada bem pra ele. Tinha algo de muito estranho, Tânia estar ali depois da surra que levou de Bella.

–-Diga logo o que você quer Tânia. Meu tempo se resume em dinheiro, e eu estou desperdiçando ele com você. – Edward disse ríspido. Tânia não disse nada e também não pareceu se importar.

–-Você sempre com seu ar arrogante, sempre seguro de si. Mas no final não passa de um garotinho assustado. Antony eu te conheço muito bem, até mais do que você próprio imagina. Essa sua imagem de rei não é nada.

–-Você veio aqui só pra falar sobre a minha imagem? Pelo amor de deus, me diga algo que não saiba. – Ele disse com um ar debochado. Tânia riu com escárnio.



Enquanto isso.....
Bella entrava na “empresa” de Antony. Ela resolveu ir até lá e lhe fazer uma visita. E quem sabe com essa visita poderia rolar algo mais naquele escritório? Com certeza seria algo bastante excitante.

Bella cumprimentou alguns dos funcionários que andavam por ali no hall de entrada. Ela era tratada como senhora Cullen, já era conhecida como a mulher do chefe. Se sentia nas nuvens quando ouvia isso.

Quando entrou no elevador se encontrou com Emmett...

–-Oi Bellinha. – Emmett disse com um enorme sorriso no rosto.

–-Olá Emmett. Edward esta no escritório?

–-Sim. Mas Tânia esta lá. – Emmett avisou e Bella ficou rígida na hora.

–-Fazendo o que? – Bella disparou.

–-Não sei. – Emmett ergueu as mãos em tom de rendição.

O elevador parou no andar de Bella. Ela se despediu de Emmett e saiu do elevador.


No escritório......
–-Eu vim aqui lhe mostrar que eu sou a mulher que você precisa, não a tonta da Isabella. – Tânia dizia sensualmente enquanto dedilhava seus dedos no peito de Edward.

Tânia se apossou violentamente da boca de Edward sem nenhum aviso, já ele ficou sem reação nenhuma. Ele não esperava por isso.


Bella abriu a porta do escritório devagar e sem fazer barulho. Seu sorriso morreu ao ver a cena diante dos seus olhos.

Edward estava virado de costas para porta,portanto não viu Bella entrar. Mas infelizmente, Bella podia ver perfeitamente que Tânia estava grudada na boca de Edward. Sua vontade era de entrar lá e expulsar aquela mulherzinha de lá a base de tapas, mas não foi isso que fez. Do que iria adiantar? Edward não se movimentou, em sua mente ele deveria estar aproveitando.

Os olhos de Bella começaram a embaçar. Balançou a cabeça a cabeça e saiu dali. Ela entrou correndo no elevador, com o rosto banhado em lagrimas. Parecia uma alucinação. Mas era a dura e pura verdade. Seu coração estava doendo.



Enquanto isso....
Edward empurrou Tânia a fazendo cair do chão. Ela gemeu de dor e depois deu um sorriso. Edward limpou a boca com as costas da mão. Estava com nojo daquilo.

–-POR QUE VOCÊ FEZ ISSO, PORRA?! – Ele esbravejou a levantando pelos cabelos.

–-Por que eu quis. Eu sei que você ainda sente desejo por mim. – Tânia tentava beija-lo a qualquer custo.

Tânia acabou levando um tapa certeiro e sonoro bem no seu rosto. Sua bochecha estava vermelha e ardia. Chegou a sentir o gosto de ferrugem na boca. A marca dos cinco dedos de Edward estavam presentes ali. Ele a encarava com fúria, como se a qualquer momento fosse esgana-la sem nenhuma piedade.

–-Escuta aqui sua vagabunda de esquina, é melhor você sair daqui agora antes que eu acabe com você. Vai ser de um modo bem dolorosa, isso eu posso te garantir. – Ele disse com os dentes trincados, enquanto a sacudia. Parecia eu fumaças saiam de seus ouvidos e nariz de tão irritado que ele estava.


Tânia se livrou do aperto de Edward, pegou sua bolsa e saiu daquele escritório com um sorriso gigantesco no rosto. Ela podia ouvir barulho de coisas se quebrando lá dentro. Estava satisfeita, havia conseguido o que queria. Ela, agilmente, discou uns números no celular.

–-Está tudo pronto. Isabella viu tudinho. Ela nesse exato momento deve estar achando que Edward a traiu. Pobrezinha. – Tânia disse orgulhosa de seu feito.

–-Perfeito Tânia. Agora volte. – Uma voz masculina disse.






Assim que chegou em casa, Bella correu para o quarto. Foi até o closet e pegou duas malas grandes. Ela pegou suas roupas, e pertences pessoas e os colocou ali dentro. Lagrimas banhavam seu rosto. Não conseguia nem dizer uma palavra sequer. Não pensava em outra coisa a não ser na cena que havia presenciado há poucos. Tânia beijava Edward, e ele nem sequer tomava atitude. Isso estava claro que ele ainda sentia algo pela aquela biscate.


Depois de suas roupas estarem na mala, Bella pegou seus documentos, e algum dinheiro que ela guardava. Estava levando apenas o que era seu. Max entrou no quarto. Bella pegou o filhote no colo, e sentou na beirada da cama.

–-Me desculpa Max. Mas eu não vou poder te levar comigo. A verdade é que eu nem sei pra aonde vou depois que eu sair daqui. Ele brincou comigo. Eu o encontrei beijando Tânia. Ele não me viu, mas eu vi tudo. Me desculpa amorzinho, você terá que ficar aqui. Eu tenho certeza que Sue vai cuidar muito bem de você, tá bom? – Bella disse, enquanto alisava o pêlo do cachorro. Max soltou uma espécie de choro, como se entendesse o que Bella dizia.


Bella colocou o cachorro de volta no chão. Ela olhou para sua mão, e viu o anel que havia ali. O anel de compromisso. Edward dizia que aquele pequeno objeto pequeno, porem significativo, era uma forma de dizer que eles estavam juntos e se amavam. Bella retirou aquele anel do dedo com tanto pesar. Escreveu um pequeno bilhete e com a aliança o deixou sob a cama. Sabia que era covardia de sua parte sair desse modo,mas não iria conseguir encarar Edward novamente. Ela deu uma ultima olhada no quarto, que até o dia anterior pertencia aos dois, e saiu com as malas.

Tudo aquilo não passava de uma ilusão? Será que tudo que ela viveu naquele casa não passou de uma brincadeira?


Bella ficou no meio da sala de estar imóvel. Ela pensava se deveria ou não ficar,e esperar por uma explicação. Seu coração clamava por isso. Queria uma resposta. Mas havia o lado da razão, que dizia que ela deveria ir embora. Será que aquele cena já não houvesse ocorrido antes? Talvez ela fosse mesmo a boba dessa história.

Bella resolveu seguir a razão e saiu porta á fora. Teve que passar pelos seguranças, o que não foi fácil,mas ela conseguiu. Pegou um taxi, ficaria em um hotel e depois iria decidir pra onde ir.


–-------------------------------------------------------------------------------



Quando era 13:00 Edward ligou para o celular de Bella, mas ela não atendia e sempre caia na caixa postal. Na quinta tentativa falha, ele começou a se preocupar. Estava achando aquilo muito estranho. Bella ainda não havia ligado pra ele, como sempre fazia todas as manhas que ele saia. Edward decidiu ligar para o telefone da mansão e Sue atendeu.

–-Oi Sue, sou eu Edward. Bella esta por ai? – Ele perguntou.

–-Não ela saiu.

–-Pra onde? – Ele disparou.


–-Não, ela não disse. Provavelmente ela deve ter ido ver você.

–-Ok Sue, obrigado. Até logo. – Edward disse desligando o telefone.


Edward continuou com uma sensação de angustia assolando o seu peito. Sentia que havia algo errado.

Alguém bateu na porta e ele pediu para que entrasse. Era Emmett.

–-Eu bati na porta, porque pensei que estava acompanhando. Não era para Bella estar aqui? – Emmett perguntou entrando no escritório.

–-Por quê?

–-Eu encontrei com ela no elevador.


–-Quando foi isso? Agora?

–-Não. Faz um tempo. Você estava com Tânia aqui dentro.


Se Bella estivesse ali na hora em que ele discutia com Tânia, ela teria entrado certo? A não ser que... Será? Não era possível que Bella viu a ceninha de Tânia.

–-Eu preciso ir pra casa. – Edward disse em um rompente. Ele se levantou da cadeira, pegou as chaves do carro e deixou o escritório apressado. Emmett continuou lá sem entender absolutamente nada.



Edward dirigia seu carro em mais de 100km/h. Estava suando frio. Se Bella viu o beijo e não entrou, era porque ela havia imaginado mal as coisas. Ele entrou em correndo, encontrando Max rolando no tapete da sala. Ele subiu as escadas em direção ao quarto.



–-Bella! – Ele a chamou assim que abriu a porta do quarto. Mas só havia o silencio.

Edward foi até o banheiro com esperança de que ela estivesse lá,mas o banheiro estava vazio e sem nenhum sinal de Bella. Ele a procurou por cada misero cantinho do quarto. Ele viu o bilhete em cima da cama com a aliança e começou a ler.

Antony, se você estiver lendo isso é porque eu já estarei bem longe.
Hoje tive a comprovação de que tudo aquilo que passamos, não passou de uma ilusão. Tânia é a mulher perfeita para você. Eu pude ver o modo como se beijavam no seu escritório.
Só peço que não me procure mais. Deixei a aliança para que você dê a pessoa que realmente mereça. Adeus.
PS: cuide bem do Max.
Bella S.

Edward assim que terminou de ler aquilo, amassou o papel com suas mãos. Uma ira o consumia por completo. Não estava sentido raiva de Bella, ou coisa parecida. Estava sentindo raiva de si mesmo.

–-Merda. – Ele praguejou apoiando o rosto em suas mãos.

Ele sentia um vazio enorme dentro de si. O lugar em seu peito aonde Bella ocupava, parecia ter sido arrancada da forma mais dolorosa possível. Bella estava marcada nele como uma tatuagem, e não seria fácil de apaga-la, mas ele também não queria. Moveria céus e terra para encontra-la e traze-la novamente para o lugar aonde não deveria ter saído.

Ele iria acabar com Tânia. Cortaria ela em pedaçinhos e daria como o jantar para seus cãs. Edward pegou o celular e discou os números de Emmett.

–-Algum problema Antony? – Emmett disse assim que atendeu.


–-Eu quero que ache Tânia, e traga aquela rameira pra mim. – Edward disse secamente. Suas mãos apertavam o aparelho de celular, parecendo que a qualquer momento o celular fosse virar pedaçinhos.






No dia seguinte.....



As 17:00 horas, Bella desembarcou no aeroporto de Forks. Seu novo lar a partir de agora. Ela pegou um taxi e entregou o endereço ao motorista. 40 minutos depois, o taxi finalmente parou em frente a uma casa simples, e com cores branca e amarela. Ela entregou o dinheiro ao taxista e saiu. Ela olhou no papel novamente e viu se realmente estava no lugar certo. Bella foi até lá arrastando suas malas com dificuldade, e bateu na porta.



–-JÁ VAI! – Uma voz feminina gritou de dentro da casa.


Bella escutou passos e logo depois a porta se abriu.


–-Bella?! – A pessoa exclamou surpresa.

–-Oi Renée, posso entrar? – Bella perguntou.



Continua.....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar saiba que:
1. Você pode se Cadastrar com sua rede social para comentar é muito simples. Clique AQUI para saber mais.
2. Comentários, imagens e links ofensivos a Robert, Kristen ou ao trabalho realizado por esse fandom serão deletados e banidos.
2. Evitem usos de palavrões e confusões pois esses comentários serão deletados e colocados na lista de SPAM.
3.Links de sugestão de máterias por favor enviem para irmandaderobsten@hotmail.com ou no nosso chat.